OAB-AM inicia curso de capacitação ao Combate da Violência Política de Gênero

Nesta quinta-feira (26), através da OAB-AM, o grupo de trabalho de combate à violência política de gênero do Comitê Amazonas de Combate à Corrupção deu início ao curso de capacitação de combate a violência política de gênero Escola Superior da Advogacia (ESA), localizado na rua São Benedito, 99 – Adrianópolis.  Com duas aulas, o curso finaliza amanhã, dia 27 de maio.  

Segundo a advogada Elcilene Rocha, a mensagem é dizer que a violência política de gênero não é normal.  “Queremos deixar a mensagem que a mulher pode está onde ela quiser e que a violência política de gênero não é normal e que você precisa conhecer, você precisa combater esse tipo de violência,  só assim nós vamos ter paridade social e igualdade.”

A vice-presidente da OAB, Denize Aufiero, destaca a lei federal que ampara as mulheres vítimas de violência política. “Importante que haja esses cursos e esses debates que essa comissão está fazendo, preparando com mulheres que vão esclarecer, que vão trazer a tona esses assuntos de discriminação e desigualdade de gênero na política.  A lei federal 14.192, ela prevê crimes contra a mulher que atuam na política, o combate a violência política contra a mulher. Então realmente, é um curso de extrema importância nesse momento que estamos nós preparando, que se avizinha ao nosso novo pleito, pra que nos possamos incentivar, capacitar as mulheres que estão ingressando na política e nós precisamos das mulheres que possam realmente estar a frente, que possam ter esse empoderamento político.”

A violência política é um problema antigo que só agora as pessoas conseguem identificar, segundo a Dra. Maria Benigno. “A violência política de gênero é um problema que muitas mulheres enfrentam e já enfrentaram a muito tempo atrás e que isso hoje as pessoas conseguem identificar e os homens estão um pouco mais vigilantes, mas ainda acontece muito.  Então, é muito importante que as mulheres tenham essa consciência, saibam que existe uma lei, saibam que existam órgãos e organizações para acolher e receber denúncias.”

Palestrantes:

Aparecida Veras, Advogada;
Karla Silva, Promotora de Justiça do MPE;
Elcilene Rocha, Advogada, Sócia da Rocha & Stone;
Catarina Carvalho, Procuradora Regional Eleitoral no Amazonas, biênio 2021-2023;
Maria Benigno, Advogada, pós-graduada em Direito Eleitoral e em Mediação;
Leda Mara – professora da UFAM e promotora de Justiça

Fonte: Amazonas Repórter.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.