Carteiras Nacional e Internacional

FRENTE

VERSO

Carteira Nacional de Jornalista

Criada pela lei n.º 7.084, de 21.12.82, a Carteira Nacional de jornalista é documento de identidade pessoal e profissional, válido em todo o território nacional e só poderá obtê-lo o jornalista que tenha registro profissional no Ministério do Trabalho e Emprego. O documento é emitido pela FENAJ, que autoriza o encaminhamento das solicitações por meio dos Sindicatos de Jornalistas a ela filiados.

Para obtê-lo, o jornalista deve procurar o Sindicato de seu Estado (ou município, quando houver Sindicato municipal), apresentando os documentos necessários, que são: Carteira de Identidade ou outro documento que contenha seu número de Registro Geral e data de expedição; Carteira de Trabalho, com a anotação do Registro Profissional e cópia do Diploma ou Certidão de colação de grau em curso superior de Jornalismo, quando o profissional for diplomado.  Em caso de renovação, basta apresentar a Carteira Nacional de Jornalista vencida ou a vencer.

O investimento para a obtenção da carteira é de R$ 400,00 para qualquer jornalista. Contudo, visando estimular a filiação sindical e a manutenção em dia das mensalidades pelos sindicalizados, há um desconto de 75% para os filiados em dia com suas mensalidades. O valor do desconto é sustentado pelo sistema sindical.

O jornalista brasileiro tem sua identidade. 

Carteira Internacional de Jornalista

A Carteira Internacional de jornalista é um documento de identificação profissional, expedido pela Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) que, no Brasil, autoriza sua emissão pela FENAJ, Federação Nacional a ela filiada.

A solicitação da Carteira Internacional deve ser feita nos Sindicatos de Jornalistas filiados à FENAJ. Para obtê-la, por exigência da FIJ, o jornalista precisa ser sindicalizado. São exigidos para a emissão: preenchimento do formulário de solicitação (fornecido pelos Sindicatos); cópia da Carteira Nacional de jornalista na validade, e uma foto 3×4.

 A carteira internacional é o documento de identificação do jornalista no exterior. O titular da cédula internacional tem benefícios – desconto ou gratuidade – no ingresso de cinema, museus, espetáculos etc, que variam de país para país. Outra finalidade importante do documento é facilitar o acesso às entidades sindicais filiadas à FIJ e a eventos profissionais. Dessa forma, fica mais fácil encaminhar solução de problemas que possam surgir quando o jornalista está em atividade profissional em outro país.

O investimento para a obtenção da carteira da FIJ é de 55 euros.

O jornalistas brasileiro sindicalizado e em dia com seu Sindicato identifica-se também no exterior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *