gototopgototop
 
 
 
Domingo, 31 de Maio de 2020
 
 
SJPAM encerra ano com Roda de Conversa e Confraternização nesta sexta (20) | Imprimir |  E-mail
Qui, 19 de Dezembro de 2019 14:24

Falta de sinal de Internet, informação desencontrada, localização exata no meio da floresta, além das condições climáticas como calor, fumaça, entre outras intempéries. Fazer cobertura jornalística na Amazônia é um desafio grandioso. E como encontrar soluções para estes problemas? Essas e outras curiosidades serão a tônica da Roda de Conversa “Queimadas na Amazônia” que acontece nesta sexta-feira, 20/12, a partir das 19h, no auditório Arlindo Porto, sede do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Amazonas (SJPAM), localizado na Praça Santos Dumont, nº 15, Centro.

Logo após o evento, haverá festa de confraternização dos jornalistas e radialistas, aberta a todos. O evento é gratuito e tem por objetivo estimular a integração e interação entre as categorias que lutam no Estado contra a MP 905/2019, responsável pela extinção do registro profissional das categorias. A roda de conversa “Queimadas na Amazônia” é um evento idealizado pelas comissões de Repórter Fotográfico e Repórter Cinematográfico do SJPAM. De acordo com um dos participantes, Orlando Jr, o evento foi pensado para socializar o conhecimento e os detalhes desse tipo de cobertura no interior do Estado. Para isso, ele irá mostrar fotografias de bastidores e dois vídeos realizados durante a cobertura que fez juntamente com o repórter Alexandre Hisayasu durante 12 dias no município de Apuí (1.097 quilômetros ao sul de Manaus). “Vou mostrar o trajeto que fizemos: fomos para Porto Velho (RO), fretamos um avião e fomos sobrevoar uma área que estava queimando em Apuí, que naquele momento era uma região que o satélite informava q era a maior área. Depois fomos de Porto velho a Apuí, de carro, uma distância de mais de 600 quilômetros e lá acompanhamos o PrevFogo do Ibam, em várias ações de combate ao fogo. Quase nosso trabalho foi em vão: tivemos a sorte de encontrar Internet em uma escola que tinha o sinal há menos de um mês. Conseguimos mandar 10 reportagens que abasteceram todos os telejornais da Globo e da Rede Amazônica”, explicou. Orlando ressaltou ainda que o evento não é político, mas de fatos jornalísticos que foram registrados por ele e pelos repórteres fotográficos Bruno Kelly (Reuters) e Edmar Barros (Futura Press), que também vão expor seus trabalhos e dificuldades em situações diversas relacionadas às queimadas. Inicialmente, a roda de conversa estava agendada para o último dia 13/12, mas em função do falecimento do repórter fotográfico Alexandre Fonseca, membro da Comissão de Repórter Fotográfico, foi adiado para esta sexta-feira, 20/12, juntamente com a festa de confraternização dos jornalistas. Música, animação, salgados e bebida estão à espera da categoria a partir das 21h, na sede do SJPAM para um momento de confraternização. “A tônica é de união. Precisamos fortalecer nossos laços para mantermo-nos animados e fortes ante a luta em defesa da categoria. Esperamos todos os jornalistas e radialistas”, afirmou a presidente do SJPAM, Auxiliadora Tupinambá.

 

Adicionar comentário

Seu apelido/nome:
seu email:
Assunto:
Comentário: