gototopgototop
 
 
 
Terça-Feira, 12de Novembro de 2019
 
 
FENAJ volta à direção da Federação Internacional dos Jornalistas | Imprimir |  E-mail
Qua, 19 de Junho de 2019 17:02

A Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ, por sua sigla em português) elegeu sua nova diretoria para o período de 2019-2022, em congresso mundial, realizado em Túnis (Tunísia), de 11 a 14 de junho. O jornalista marroquino Younes M´Jahed foi eleito presidente. Também foram eleitos para o Comitê Administrativo a jornalista peruana Zuliana Lainez (vice-presidente Sênior), Sabina Inderjit (Índia) e Timur Shaffir (Rússia), para as duas vices-presidências regulares, e o inglês Jim Boumelha, para o cargo de tesoureiro.
A FENAJ voltou a direção da FIJ, após um mandato ausente. A presidenta Maria José Braga foi eleita para integrar o Comitê Executivo, composto por 16 membros, de todas as regiões do planeta. Além da presidenta da FENAJ, integram o Comitê Executivo: Nasser Abubaker (Palestina), Moauad Allami (Iraque), Paco Audie (Espanha), Sofia Branco (Portugal), Ian Chen (Taiwan), Maria Luisa de Carvalho (Angola), Zied Dabbar (Tunisia), Larry Goldbetter (USA), Adriana Hurtado (Colômbia), Raffaele Lorusso (Itália), Filemon Medina (Panamá), Jennifer Moreau (Canadá), Paul Murphy (Austrália), Dominique Pradalié (França) e Omar Faruk Osman (Somália).
Maria José disse que a presença FENAJ na direção da FIJ é importante para o Brasil e para a América Latina. "Nas últimas décadas, participamos ativamente do movimento sindical internacional dos jornalistas e estivemos nas direções da FIJ, da Federação de Jornalistas da América Latina e do Caribe (Fepalc, por sua sigla em espanhol), e da Federação Latino-Americana de Jornalistas (Felap, também por sua sigla em espanhol). Temos contribuído para o debate e para as ações", avalia.
Resoluções
Além de eleger a nova diretoria da FIJ, o congresso internacional aprovou um novo Código Mundial de Ética dos Jornalistas e dezenas de moções (resoluções), contendo propostas de trabalho para a FIJ e suas entidades filiadas.  Entre as resoluções, destaca-se o apoio à Convenção Internacional sobre a Segurança e Independência dos Jornalistas de outros Profissionais da Comunicação, em discussão no âmbito da ONU.
Outras diversas moções aprovadas trataram do tema da segurança dos jornalistas, inclusive uma moção apresentada pela FENAJ, que propôs a criação de um observatório internacional para a denúncia permanente dos casos de violência contra jornalistas. Foram aprovadas também moções que trataram do fortalecimento do trabalho sindical, com sugestões de medidas para o combate à precarização das relações de trabalho e para a valorização dos jornalistas.
A FENAJ apresentou ainda uma moção de urgência (apresentada diretamente ao congresso internacional), pedindo a solidariedade internacional para a defesa da democracia e do estado democrático de direito no Brasil. A moção, que denunciou a condenação sem provas do ex-presidente Lula e pediu sua imediata libertação, foi aprovada.
A delegação Brasileira ao Congresso de Túnis foi composta pelos dirigentes Ayoub Hanna Ayoub, Beth Costa, Celso Augusto Schröder, Paulo Zocchi e Maria José Braga.

 

Adicionar comentário

Seu apelido/nome:
seu email:
Assunto:
Comentário: